Bolsas de NY fecham em alta, em dia de fortes ganhos da Tesla | Finanças


Os três principais índices acionários de Wall Street terminaram a sessão desta quinta-feira (21) em alta, em mais um dia que balanços corporativos pesaram positivamente para as bolsas. No pregão de hoje, as ações da Tesla ajudaram a manter o bom humor e a impulsionar o Nasdaq. Não à toa, o índice setorial de consumo discricionário, ao qual a montadora de carros elétricos pertence, registrou o melhor desempenho nesta quinta. Na ponta das perdas, o segmento de energia teve a maior queda, em dia de fraqueza nos preços do petróleo.

No fim das negociações, o índice Dow Jones terminou em alta de 0,51%, a 32.036,90 pontos, enquanto o S&P 500 subiu 0,99%, a 3.998,95 pontos, e o Nasdaq avançou 1,36%, a 12.059,61 pontos.

O segmento de consumo discricionário avançou 2,25% na sessão desta quinta, recebendo impulso das ações da Tesla, cujo avanço chegou a 9,78%. Ontem, após o fechamento do mercado, a companhia divulgou seu resultado referente ao segundo trimestre e apontou que teve um lucro de US$ 2,26 bilhões, alta de 98% em relação ao mesmo período de 2021.

Já a ação da United Airlines fechou em forte queda de 10,17%, depois que a companhia aérea fez um alerta em seu balanço sobre os efeitos da disparada dos preços dos combustíveis, enquanto a ação da American Airlines recuou 7,43% depois que a companhia aérea reportou lucros mais fracos do que o esperado para o segundo trimestre.

Para o estrategista da LPL Research Jeffrey Buchbinder, em um cenário mais pessimista, um declínio de 10 a 15% nos lucros é uma expectativa razoável. “Mas nossa previsão econômica ainda não prevê recessão neste ano e uma chance de 50% no próximo ano. Um pouso suave ainda será muito difícil para o Federal Reserve [Fed, o banco central americano], mas é possível. E uma recessão pode ser muito leve, resultando em um impacto menor nos lucros”, disse, em nota.

O dólar no exterior seguiu penalizado por um euro mais forte. Perto das 17h30, o índice DXY recuava 0,39%, enquanto o euro subia 0,38%, a US$ 1,0219. O fortalecimento do euro na sessão se deu após a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE). A autoridade monetária elevou suas taxas de juros pela primeira vez desde 2011, saindo do terreno negativo. A maioria dos bancos e casas de análise aguardava por uma alta de 0,25 ponto percentual, mas o banco surpreendeu e elevou as três principais taxas em 0,5 ponto.

Hoje, o petróleo voltou a recuar, perdendo mais de 2,5% na sessão, seja em seu contrato Brent ou WTI (ambos para setembro). Diante disso, o setor de energia foi o mais penalizado, com as ações da Exxon Mobil recuando 1,67%.



Source link

Deixe o seu comentário


O seu endereço de email não será publicado.