Fabricante de brinquedos Lego deixa de vender na Rússia em definitivo – Invasão da Ucrânia

A fabricante dinamarquesa de brinquedos Lego anunciou esta terça-feira que vai interromper de forma definitiva as vendas na Rússia devido à guerra na Ucrânia, afetando 81 lojas que eram operadas por um distribuidor russo.

O grupo responsável pelos famosos tijolos de plásticos “decidiu cessar indefinidamente as suas atividades comerciais na Rússia” e “encerrar a sua parceria” com o distribuidor russo Inventive Retail Group, “que detinha e explorava 81 lojas em nome da marca”, disse à agência de notícias AFP uma porta-voz.

A multinacional também vai cortar os postos de trabalho da “maior parte da sua equipa sediada em Moscovo”, indicou.

A Lego já tinha decidido no início de março suspender as suas entregas para a Rússia após a invasão da Ucrânia, mas as lojas que eram operadas pelo Inventive Retail Group permaneceram abertas e continuaram a vender os seus ‘stocks’.

“Confirmamos a rescisão do contrato com a Lego”, disse a porta-voz da empresa subcontratada, acrescentando que a entidade “vai continuar a atuar como especialista na categoria de brinquedos de construção e educativos”.

O Inventive Retail Group não anunciou qualquer corte de empregos nesta fase.

No início de maio, a Rússia tinha colocado produtos da Lego na lista de 100 categorias de mercadorias cuja importação tinha sido autorizada sem o acordo dos detentores da propriedade intelectual.

Entre esses produtos, estavam também ‘smartphones’ da Apple e da Samsung, grandes marcas de automóveis, consolas de videojogos e até materiais e peças de reposição utilizados na indústria.

A Lego registou um aumento de 63% dos lucros na Rússia em 2021, para 1,8 mil milhões de rublos (cerca de 30 milhões de euros na taxa atual), segundo o banco de dados Spark, citado pelo jornal russo RBK.





Source link

Deixe o seu comentário


O seu endereço de email não será publicado.