Procurador da Flórida pede que pena de morte para atirador do massacre de 2018 em Parkland | Mundo


O procurador que atua no caso do atirador que matou 17 pessoas em um atentado a uma escola na Flórida, em 2018, fez a primeira exposição ao

Um procurador norte-americano fez um apelo, nesta segunda-feira (18), para que jurados condenem à morte o atirador

O acusado, que hoje tem 23 anos, se declarou culpado em outubro do assassinato premeditado de 14 estudantes e 3 funcionários da Marjory Stoneman Douglas High School, em Parkland, a aproximadamente 48 quilômetros de Fort Lauderdale.

Olhar Em Pauta: um ano da tragédia de Parkland

O procurador Michael Satz disse ao corpo de jurados do Condado de Broward no primeiro dia da fase penal do julgamento que Cruz cometeu o “assassinato sistemático, planejado, orientado ao objetivo –de um assassinato em massa– de 14 estudantes, um diretor atlético, um professor, e um técnico”.

O acusado, que era um ex-estudante expulso da escola, de 19 anos, à época do massacre, será condenado à prisão perpétua sem condicional, se qualquer um dos 12 jurados for contra a pena de morte. A decisão pode levar vários meses.

Cerca de 35 familiares das vítimas estavam presentes no tribunal. Alguns balançaram suas cabeças ou choraram enquanto Satz descrevia o massacre, citando nominalmente cada uma das 17 pessoas que foram mortas, e dos 17 feridos no ataque.

Vestido em uma blusa preta e cinza e com uma máscara preta, o acusado, ouviu, jogado em sua cadeira, olhando para o chão, a fala de Satz. Ele parece ter feito várias anotações, repassando-as a seu advogado.

Em sua declaração de culpa, o atirador disse “lamentar muito” e pediu uma chance para ajudar os outros. Satz disse que os fatores agravantes no caso, incluindo a premeditação, superam os argumentos de leniência, incluindo o histórico de problemas de saúde psiquiátrica do acusado.

Veja os vídeos mais assistidos do g1



Source link

Deixe o seu comentário


O seu endereço de email não será publicado.